O poder do Notworking nas Redes Sociais


Mário Jorge era um rapaz muito estudioso e tinha um objetivo muito claro em sua vida: Ser o melhor cirurgião plástico da sua região. De família pobre, teve de estudar muito desde cedo pra entrar numa faculdade pública, e conseguiu.

Foi aluno destaque, e na residência começou a se destacar como um médico que prezava por um trabalho bem feito, detalhista e tratava de forma muito agradável e humana seus pacientes. Sua carreira estava tomando o corpo que ele havia planejado anos atrás, antes de entrar na faculdade.

Por fazer um trabalho de excelência, foi fazendo fama pela região em que morava. Muitas mulheres vinham de cidades distantes para realizar o sonho de ter um corpo mais harmonioso pelas mãos do Dr. Mário Jorge.

Num mundo tão conectado, Dr. Mário Jorge deixava suas redes sociais de lado, o que o incomodava, uma vez que seus amigos médicos tinham perfis com milhares de seguidores.

Decido a se tornar visto nas redes, contratou Felipe Morais, dono de uma das principais agências de marketing da cidade, para alavancar suas redes. Um dos primeiros diagnósticos feitos por Felipe, foi que sua conta era privada, o que diminuam as chances das pessoas compartilharem suas publicações.

Felipe Morais começou então um plano de marketing para que a imagem do Dr. Jorge Mauro fosse visto nas redes sociais, especialmente no Instagram. Mas Dr. Jorge queria resultados rápidos, e viu com um amigo que era possível comprar seguidores, mesmo Felipe dizendo que não é uma boa ideia, uma vez que o Instagram identifica esses perfis. Mas ele não quis argumentação e pagou para ganhar seguidores de forma rápida.

O comportamento do Dr. Jorge também não era dos mais amáveis nas redes, fazendo comentários desagradáveis quando recebia alguma crítica. Até o dia em que ele perdeu o controle e, após ler uma crítica sobre o trabalho que fez numa paciente, respondeu de forma grosseira, que a paciente “nem se nascesse novamente ficaria bonita”, no Instagram.

Dr. Mário Jorge perdeu 60% dos seus seguidores, além de uma enxurrada de telefonemas cancelando consultas, de mulheres que se solidarizaram com a paciente. Felipe demito, perda de quase 200 mil reais em cirurgias canceladas, e recomeço de construção de uma imagem.

Um dia tem 86.400 segundos, e nas redes sociais, um segundo de deslize, pode gerar um print, e virar uma dor de cabeça eterna.

As redes sociais como Facebook e Instagram são ótimos locais para se fazer Network, porém, se você não aceitar críticas e entrar em debates desnecessários, podem ser as melhores ferramentas para se fazer Notworking.

#nuncaesquecerei #Recomeçar #notworking #instagram #minutos #segundos #médico #mulheres #cirurgiaplástica #redes #sociais

Aponte a câmera

e veja nossos contatos

© 2017 GFalcão

Consutoria em TI. Todos os direitos reservados.

Uberaba/MG - Brasil

  • LinkedIn Gilvan
  • White Facebook Icon
  • White Twitter Icon
  • White YouTube Icon